top of page
  • Foto do escritorAlcides Aredes Miranda

PESSOAS ATINGIDAS SE REÚNEM EM MEMÓRIA DO MAIOR DESASTRE SOCIOAMBIENTAL BRASILEIRO

Atualizado: 8 de nov. de 2023

Rompimento da Barragem de Fundão completa 8 anos e, para as cidades que dependem do Rio Doce, como Governador Valadares e Alpercata, muito ainda precisa ser feito

Xabier Galarza, Coordenador de Relações Institucionais da Cáritas Diocesana de GV
Coordenador de Relações Institucionais da Cáritas Diocesana de GV, Xabier Galarza (Foto: Alcides Miranda)

Há 8 anos, no dia 5 de novembro de 2015, ocorreu o rompimento da barragem de Fundão, de propriedade das mineradoras Samarco, Vale S/A e BHP Billiton. Na época, 19 pessoas morreram e outras centenas de milhares tiveram o abastecimento de água comprometido nos municípios mineiros e capixabas à margem do Rio Doce, no que ficou conhecido como o maior desastre socioambiental da história do Brasil.


Para marcar a data em Governador Valadares e Alpercata e mostrar que a reparação integral será alcançada com muita organização e luta, as pessoas atingidas do território se reuniram em um Ato Ecumênico em memória dos 8 anos da tragédia, realizado na Baixa do Quiabo, no Bairro Santa Rita, região marcada pelas enchentes, potencializadas após o rompimento.


O Ato Ecumênico foi conduzido por Xabier Galarza, coordenador das relações institucionais da Cáritas Diocesana de Governador Valadares, e permeado de momentos de oração, reflexão e canções populares, como o “Xote Ecológico”, de Luiz Gonzaga, tocada pelos atingidos Isac Andre Cordeiro e Marinalva Alves de Oliveira.

Isac Andre e Terezinha conduzem as canções que embalaram o Ato Ecumênico em memória dos 8 anos do rompimento da barragem de Fundão
Isac Andre e Terezinha conduzem as canções que embalaram o Ato Ecumênico (Foto: Alcides Miranda)

No momento denominado “a fila do povo”, as pessoas atingidas falaram sobre a busca por justiça, reparação integral e a necessidade de reconhecimento dos danos sofridos. A atingida Leonelia Sanches, da Comissão Local de Atingidos dos Bairros Santa Terezinha, São Paulo e região, lembrou dos gastos que a população teve e ainda tem com água mineral desde a época do rompimento, devido à falta de confiança na qualidade da água captada no Rio Doce.

Atingida Leonelia Sanches, da Comissão Local de Atingidos dos Bairros Santa Terezinha, São Paulo e região, exercendo seu lugar de fala
Atingida Leonelia Sanches, da Comissão Local de Atingidos dos Bairros Santa Terezinha, São Paulo e região (Foto: Alcides Miranda)

“As pessoas de 78 e 79 anos nunca ganharam uma garrafa de água em casa, nós da comunidade que ajudamos, temos que buscar para nós e para elas também. Então, se nós atingidos não buscarmos nossos direitos e não corrermos atrás, não são eles, os ‘grandões’, que vão vir aqui e nos chamar em casa para devolver o nosso rio, os nossos direitos e a nossa saúde”, explica Leonelia.

A cruz distribuída no Ato Ecumênico representa a fé e o compromisso dos atingidos com a luta por reparação integral e com a recuperação do Rio Doce
A cruz distribuída no Ato Ecumênico representa a fé e o compromisso dos atingidos com a luta por reparação (Foto: Alcides Miranda)

Por fim, no encerramento da celebração, ao som da composição do Padre Zezinho “Nova Geração” (No peito eu levo uma cruz/No meu coração, o que disse Jesus”), cada um dos presentes recebeu uma cruz, símbolo de fé e da luta das atingidas e atingidos por reparação integral e pela recuperação do Rio Doce.


Pontes amanheceram “de luto” em Governador Valadares


Outro ato simbólico de iniciativa das pessoas atingidas que marcou o dia 5 de novembro foi a afixação de faixas e de fitas pretas de luto nas duas principais pontes de Valadares, a ponte da Ilha dos Araújos e a ponte do São Raimundo. As faixas lembravam dos 8 anos transcorridos desde o rompimento e da constante busca por justiça para a população atingida. Confira as fotos:


8º Seminário Integrado do Rio Doce (SIRD)


O Ato Ecumênico abriu a programação do 8º Seminário Integrado do Rio Doce, organizado pela Univale através de uma construção coletiva com o Fórum Permanente da Bacia do Rio Doce, com o Centro Agroecológico Tamanduá (CAT), com lideranças e representantes de comissões de atingidos pelo desastre, e com parceiros de instituições acadêmico-científicas.


O Seminário traz diversas palestras e debates até o dia 10 de novembro, quando se encerra na sede da Assessoria Técnica Independente da Cáritas Diocesana de Gov. Valadares, com a roda de diálogo “Reparação Integral e conflitos na Bacia do Rio Doce e a Repactuação”, que contará com a presença de Dom Vicente de Paula Ferreira (Bispo de Livramento de Nossa Senhora/BA, Presidente da Comissão Especial para Ecologia Integral e Mineração da CNBB Nacional) e de atingidos e atingidas de Minas Gerais e do Espírito Santo. As palestras e debates estarão disponíveis no canal da Univale no Youtube (www.youtube.com/univale).


Confira a programação completa do 8º SIRD


05/11 – Domingo às 09h30: Celebração Ecumênica na Baixa do Quiabo, Bairro Santa Rita (GV)


06/11 – Segunda-feira (remoto) das 19h00 às 21h00: “La ética biocultural para la conservación ambiental”. Conferencista: Prof.ª PhD. Valentina Gonzales-Morales (Cape Horn International Center – Chile). Moderador: Prof. Dr. Bruno Capilé (OBIT-GIT/Univale).


07/11 – Terça-feira (remoto) das 19h00 às 21h00: “Mineração e Conflitos em Minas Gerais: passado, presente e futuro”. Participantes: Haruf Salmen Espíndola (GIT/UNIVALE), Cláudio Bueno Guerra (Consultor ambiental), Luciana Tasse (UFJF/GV), José Pavuna Neto (agricultor familiar atingido de Tumiritinga/MG).


09/11 – Quinta-feira (remoto) das 19h00 às 21h00: “Conyuturas Políticas y Derecho Constitucional en America Latina”. Debatedores: Prof. Ms. Pablo Ospina (USC – Universidad Santiago de Cali – Colômbia), Prof. Dr. Jaime Alberto Angél Alvares (Universidad Libre – Seccional Cali), Moderação: Prof. Ms. Diego Jeangregório Martins Guimarães (UNIVALE)


10/11 – Sexta-feira (híbrido) das 19h00 às 21h00: 21h00: “Reparação Integral e conflitos na Bacia do Rio Doce e a Repactuação”. Participantes: Dom Vicente de Paula Ferreira, Bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA), Presidente da Comissão Especial para Ecologia Integral e Mineração da CNBB Nacional, Joelma Fernandes (atingida de Gov. Valadares), Antônio Áureo (atingido de Rio Doce/MG), Miguelito Fernandes de Sousa (atingido de Conselheiro Pena), Peterson da Silva Pontes (atingido de Linhares/ES – Distrito de Povoação na Foz do Rio Doce). Local: Sede da ATI Cáritas de Governador Valadares (Rua Vereador Euzebinho Cabral, nº 319 – no Centro de Valadares).

38 visualizações0 comentário
bottom of page